Google+ Followers

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

Coração Aberto

Quando decidi escrever me senti uma borboleta saindo do casulo. E junto com ela saíram os sentimentos e os pensamentos que muitas vezes não conseguimos transmitir. Descobri que ser poeta é opinar sem medo, escrever é desvincular-se de segredos e expressar-se é viver intensamente.

JosiLuA

sábado, 31 de dezembro de 2016

MENSAGEM DE UM ANJO

Recebida por Josianne L.Amend ( JosiLuA)

Resultado de imagem para imagem do arcanjo uriah


Ao meditar hoje,  recebi esta mensagem que acredito deva ser anunciada.

"Amados:

Já não sois mais o que pensam ser. Estais a um passo de se encontrar em outra dimensão. O terrorismo no planeta será extinto pelo próprio poder do planeta.

Não ouviram nossos lamentos e pedidos. Sois seres teimosos e egoístas. Irão pagar com muita tristeza e dor, mas aqueles que se esforçaram,  estão sendo separados. Estes trabalharão em união para a mudança planetária. Não há mais como mudar.

Estamos chegando ao final do grande ciclo e muitos foram avisados.

As explosões nucleares, de gases e vulcões se elevarão aos céus.  Aguardai com amor e orações.  Não serão exterminados os que ajudarão o planeta de alguma forma.  Continuem seus trabalhos, pois não saberão o momento de tais catástrofes.

Se unam em amor, fé e oração.  Sinto não ter boas palavras e talvez criar um desespero coletivo, mas é chegada a hora do acordar da humanidade.

Este novo ciclo para vocês será de despertar. Aqueles que virem e sentirem o que está acontecendo por trás das cortinas do seu ego, serão auxiliados. E estes devem fazer seu trabalho ajudando a mais e mais irmãos.

Entreguem-se às orações. Desistam de egoísmos,  revanches e lutas por poder e glória.

Eu sou URIAH,  aquele que foi escolhido para trazer a verdade.

Ogô!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

NÃO ACABA, NEM COMEÇA...APENAS SEGUE...

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

Resultado de imagem para transmutar

Daqui nove dias o ano de 2016 será transmutado para 2017. Sim, transmutado, pois o tempo não finda, aliás, ele só existe nesta dimensão. De um dia para outro o que se renova é o sentimento que temos dentro de nós, simplesmente porque paramos.

Paramos para auto-análise, para olhar para trás, para olharmos ao redor. E que bom que isso acontece, este momento de introspecção, de esperança em nós mesmos, de observação do mundo. E, olhar a nossa vida, o que fizemos ou deixamos de fazer é fundamental para a melhoria que queremos praticar dentro de nós.

Com certeza analisamos quantas pessoas novas entraram em nosso caminho e quantas ficaram por ele. Talvez alguns possam ser reencontrados, outros abandonados. E o caminho segue em direção de novas aventuras, amizades, idéias. Não é um início, apenas uma continuidade do que queremos criar ou deixar pela estrada.

Interessante percebermos o que fizemos nesta etapa para nosso próprio crescimento em todas as áreas: pessoal, profissional, amorosa, familiar, relacionamentos, enfim tudo que nos faça ser uma célula sadia no mundo.

Tantos acontecimentos tristes, mas também lindos e divinos. Tantas pessoas deixaram seus corpos físicos, mas também anjos vieram substituí-los. Não acaba, nem começa... apenas segue!

O que precisamos é ampliar nossa visão de mundo, buscar novidades que estão acontecendo em todos os setores e não ficar pregados somente em nossos problemas, nosso dia-a-dia. 

Ouvi um documentário sobre a biotecnologia e fiquei espantada com o avanço da ciência e do que pode acontecer com o nosso futuro. A criação de transumanos não é no amanhã, mas já está acontecendo. Estamos tão preocupados com os problemas que a mídia faz questão de registrar para tirar nosso foco, que não percebemos o que realmente está acontecendo por trás das cortinas no planeta.

Alguns não ficam somente nos pedidos de ano novo. Estão mais preocupados em transformar a todos nós em seres muito mais inteligentes, mudando nosso DNA, colocando chips em nosso cérebro e criando crianças com mais de dois pais em úteros artificiais.

Com quem realmente estamos preocupados? Enquanto brindamos a chegada de uma nova etapa, muitos estão com os olhos em seus microscópios. Por isso, precisamos entender que a vida segue. Que no que temos que dar fim é em nosso orgulho. Não todo ele, pois que isto nos protege muitas vezes. Mas o orgulho que nos faz achar que somos tão importantes e maravilhosos, que nossas mãos e mentes não podem, nem devem pegar numa vassoura para varrer um chão, ou servir um café ao amigo, ou recolher o lixo e colocá-lo no lugar certo. Muita gente passa necessidade por causa do próprio orgulho. 

Vamos transmutar nossa vida, deixando rastros negros de sentimentos e atitudes inúteis, para buscar o que faça com que nossa passagem pela Terra seja abençoada. Estão tentando fazer com que o ser humano seja eterno, não morra. Isso me assusta um pouco, pois me parece que a alma será abandonada em qualquer momento. E nos tornaremos robôs, controlados por mentes brilhantes.

Quem sabe um dia, com a união de todas as mentes voltadas para o bem comum, sejamos fortes o suficiente para a explosão de bondade e amor que faça a Terra um planeta de evolução. Por enquanto, apenas parecemos nos contentar em ter um belo carro, uma casa incrível e uma viagem fantástica para postarmos nas redes sociais.

Não acaba, nem começa...apenas segue a vida que escolhemos, sem nos importarmos com o restante da humanidade. Mudar isso é a missão! Equilíbrio é a palavra que deverá estar na nossa mente e vida.


NAMASTÊ


segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

EM PAZ

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

Resultado de imagem para EM PAZ

É impressionante como podemos dar a nós mesmos a paz, a felicidade e alegrias. Quando descobrimos que tudo somos nós e que está dentro da gente a oportunidade de encontrarmos nosso equilíbrio em todas as áreas. É difícil entender isso quando o mundo é capitalista, egoísta e cobra o tempo todo a perfeição.

E, se você entrar nessa de cobrar a própria perfeição a todo momento, vai enlouquecer. Com certeza vai viver num mundo de frustração e com raiva de si mesmo. Sim, eu vivi um pouco disso. E é por isso que posso falar. E sim, cada um tem seu tempo de descobertas e de crescimento interior. Mas nada melhor que um empurrãozinho, não é?

Estamos no final de mais uma etapa, um tempo marcado por nós, seres humanos, para que tivêssemos idéia do que fazer e em que tempo. Na verdade, tudo faz parte de uma consciência que temos, mas não existe, pois nada muda do dia 31 de dezembro para 01 de janeiro, a não ser a nossa vontade de recomeçar. E, talvez, esse seja o grande mistério.

Se não tivesse essa contagem, chegaríamos num ponto de exaustão e desistência. Mas a esperança faz parte disso tudo. Ela renova as idéias, a vontade e nos inspira. 

Este ano, por mais reclamações, brigas, xingamentos, euforias e frustrações que ouvi, decidi ser egoísta e pensar no que eu poderia fazer por mim, para ser melhor e não participar dessa energia tão ruim que querem a todo momento enfiar-nos goela abaixo. Crise? Sei lá, o mundo está todo em crise, desde os primórdios. Existem pessoas ruins, egoístas e ladras. Mas existem pessoas lindas, iluminadas, do bem e dispostas a se doar por um mundo melhor em todas as áreas. 

Quando percebi que o mundo sou eu, arregacei as mangas e não vi crise, porque não exigi aquilo que deixa todos malucos o tempo todo: querer ter, ter e ter cada vez mais. Aprendi o que é a abundância e que cada um tem sua taça, onde Deus preenche com aquilo que precisamos. Quando consegui entender o que preciso para viver, sem querer aparecer mais que o outro, as coisas simplesmente começaram a fluir e minha gratidão, todos os dias, fez minha taça transbordar. 

Podem me chamar de louca, pois não tenho muitas coisas que são tão importantes para quase todos na Terra. Mas tenho a paz, vivo em paz. E isso me faz mais do que feliz, me faz plena, satisfeita com o que sou e tenho. Quando vejo que meus pensamentos se voltam para por quês e ganâncias, respiro na minha paz e vejo que as bagagens que tenho me sustentam e não são pesadas.

Este ano foi incrível na descoberta interior. Passei por momentos de tanta tristeza e dor, que pude renascer das cinzas e sentir que Deus existe e que ele me viu no meio da multidão. Dores nos fazem reagir para um mundo mais realista e nos tiram de egoísmos. As coisas vão se ajeitando, aparecem oportunidades, pessoas e, quando se está em paz, conseguimos melhorar a percepção e julgamentos.

O ano termina com um grande suspiro para mim. O Suspiro da paz, de ter minha linda família unida, de perceber quem são os verdadeiros amigos, de sentir toda a luz que somos capazes de ter e ser, de encontrar abundância no que me é ofertado a cada dia e de agradecimento por tudo que sou e tenho.

Se tento e dá certo, ótimo. Mas se tento e não foi o que esperei, tento tirar disso qual o verdadeiro valor de tudo. E, aprendi que, ao invés de me martirizar, ergo a cabeça e busco o entendimento. E isso se consegue através de oração, de meditação, de silêncio. 

Não fique abrindo os ouvidos e olhos para as energias negativas. Se coloque em posição de luz e dentro dela. Acredite você ou não, estou te ensinando a ter paz em sua vida. E essa paz trará tudo que quer, porque almas atordoadas não encontram seu verdadeiro caminho.

Muita paz e luz em seus corações


NAMASTÊ

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

CABELOS BRANCOS

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)




Sim, assumi meus cabelos brancos! Confesso que no início foi uma decisão de necessidade, pois meus cabelos estavam enfraquecendo a cada tintura, além de estar perdendo muitos deles. E, quando fui pedir uma fórmula em farmácia de manipulação, o farmacêutico disse que eu deveria cessar a tintura por pelo menos um mês.

Saí de lá pensando como seria ter aquelas raízes brancas que mexiam com meu ego feminino, mas resolvi seguir as orientações. Daí para frente foi um tal de ouvir as pessoas me perguntando se iria assumir o branco e algumas até chocadas por eu deixá-los daquele jeito. Mas é óbvio! Afinal, a mídia e toda consciência popular impõe que não podemos envelhecer, ditando regras e oferecendo receitas milagrosas de longevidade.

Mas, quando já se tem na alma outros propósitos, além de ser somente um objeto de imposições, iniciei uma fase de aprendizado e aceitação real sobre mim e minha vida. E, ao invés de ficar um mês sem tinta, resolvi deixar os cabelos brancos tomarem conta da minha cabeça. É um processo para as fortes, costumo dizer, pois mexe com auto-estima, valores e claro, a percepção do que é beleza.

Quando soube que ía ser avó pela primeira vez, já tinha o desejo de deixar que eles aparecessem, mas não estava preparada ainda interiormente, sofrendo com julgamentos e olhares. Então, como meu blog mesmo diz, quando a gente não empurra a vida, a vida empurra a gente e a necessidade de saúde veio ajudar na decisão.

Nem todos aceitam as condições da vida. Depois reclamam que suas vidas não são perfeitas. A vida é o que nós, e somente nós, fazemos dela. Não precisamos ficar ouvindo julgamentos de pessoas que ainda não se resolveram, que têm medos dentro de si e que não descobriram a beleza da verdadeira liberdade.

Hoje, estou completamente grisalha e amo meus lindos cabelos. Aprendi a amá-los de verdade! E nem pretendo colorir ou fazer qualquer coisa que tire a beleza deles. Eu sou um todo e quem gostar de mim, tem que aceitar meu todo, com qualidades, defeitos, cabelos brancos e meu jeito de ser.

Quando a gente busca o autoconhecimento, aprende a se desvencilhar de opiniões e julgamentos que não mais afetam a sua existência. E consegue realizar coisas maravilhosas que não tínhamos coragem. Nessa hora, aplaudo alguns homens, que ficam lindos nos seus grisalhos, mostrando toda sua maturidade.

Hoje, entendo melhor o que é o tempo e o corpo. E que esses cabelos brancos são sinais de que eu já não quero fazer algumas coisas ou até, nem posso. Existe um respeito maior por quem e pelo que sou.
Algumas pessoas podem ter a minha idade e ainda terem suas madeixas maravilhosas coloridas e naturais. Talvez elas tenham um corpo mais aperfeiçoado em hormônios, sais mineiras, vitaminas ou sei lá. Eu estou falando de mim, do meu corpo e da minha vida.

O que sei é que neste processo, já estou convencendo algumas mulheres, sem nada falar, apenas por estar sendo observada, a deixarem seus cabelos naturalmente brancos também. Não dói, não deixamos de ser quem somos. Apenas aprendemos a acatar o curso da vida.

Escrevo este texto sem pieguice, podem acreditar. Estou realmente em paz comigo e feliz com meus lindos fios prateados. É inacreditável como podemos ser fortes quando nos libertamos das pressões e imposições. Agora, estou livre de mais um ritual mensal e de apetrechos em bagagens. Estou livre de ansiedade em viajar um tempo e ter que pintar os cabelos durante a viagem.

Esses cabelos me ensinaram a ter mais percepção, respeito e sabedoria com meu próprio corpo. Mas isso sou eu! Por favor, faça da sua vida o que acha que é certo para você. Mas faça por você, não pelos outros.


NAMASTÊ

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

FASES DA VIDA

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

Resultado de imagem para FASES DA VIDA

Analisando de forma mental a vida, podemos dizer que temos diversas fases e que quanto mais avançada a idade, mas percebemos o significado de cada uma delas.

Dá para dizer que passamos pela fase de aceitação, de aprendizado, de revolta com a vida, de juízo, de sabedoria, de paz e finalmente voltamos para a aceitação. Isso não tem necessariamente um início e fim, porque tem pessoas que pulam fases e outras parecem nunca sair de uma delas. Mas é tão visível determinadas etapas, sendo quase impossível aconselhar alguém quando dentro da sua, devido a energia hormonal e mental que abastece o corpo daquela pessoa.

Quando nascemos, sem ter ainda a real consciência do mundo, aceitamos o que nos fazem, nos dão, nos dizem e vamos formando a idéia do que é bom ou não para nós. Vamos dando início à separação de vontades e desejos. Depois, começamos a aprender com tudo e com todos. Observamos, tentamos entender, bisbilhotamos e nesta fase, começam a surgir as conexões com as diversas áreas que nos farão profissionais e desenvolver dons.

A fase de revolta com a vida também existe. É o momento que queremos mostrar para o mundo nossa força (mesmo que ela seja apenas imaginária). Talvez essa seja, de todas, a mais complicada e mais difícil de lidar, porque quem está nela parece fechar olhos e ouvidos para o certo ou o responsável e embarca fácil na conversa de quem acolhe e passa a mão em suas cabeças. O problema maior desta fase é que, quando a pessoa cai em si sobre os erros, já pode ser tarde demais e daí para frente pode estar marginalizada e perdida perante a sociedade. É nesta fase que praticamente se define quem realmente será aquele ser humano e como ele poderá dar seguimento à sua vida.

Um dia a ficha cai e o sujeito se sente atormentado por suas próprias escolhas ou, conforme o caso, poderá se sentir pleno e feliz, pois as decisões tomadas o fizeram abrir caminhos e estabilizar-se. Entra a fase de juízo, onde seus julgamentos são rígidos para consigo mesmo. Questiona-se muito sobre por que fez ou deixou de fazer e por que não soube ouvir quem tinha razão ou enxergar que aquele caminho não estava certo. Mas também é o momento de alívio e paz interior para aqueles que usaram sua força para buscar o certo e o melhor para suas vidas.

A sabedoria não vem para todos, apenas aos que a buscam, seja da forma como acham melhor. Mas esta fase é mágica para os que mantém a mente aberta, para os que estudam, procuram entender e não vivem num mundo somente do ter. Quem começa a sentir a necessidade de algo mais dentro de si, acolhe novas idéias, se anima com estudos e procura entender seu próprio corpo. Só por se dar essas chances, já começa a viver uma vida de mais sabedoria.

De repente, alcançamos um nível tal que algumas coisas deixam de ter importância e o que procuramos é paz. Tanto a paz interior, como a paz ao nosso redor e por que não dizer a paz no mundo. Temos conflitos interiores sobre o ser humano, as suas atitudes e maneiras de ser e pensar. Notamos perfeitamente quem atingiu tal estágio e quem, apesar da mesma idade, não saiu de estágios anteriores, dificultando a vida geral do planeta. E só temos a lamentar o crescimento apenas de parte da humanidade. Diga-se de passagem, de uma parcela muito pequena com relação ao total.

E, finalmente, quando nos vemos mais equilibrados, com pensamentos de infinitude e até beleza, nosso próprio corpo físico começa a falhar. Quando não temos a sorte de irmos até o nosso final com força e clareza mental, vamos ficando a mercê dos cuidados alheios, sem direitos a decisões e escolhas. Nesse momento voltamos como um flash para o início, onde a aceitação de nossa vida é um fato. Porém agora, há uma mistura de cada uma das etapas, onde a revolta se instala aos que sentem dor, se sentem velhos, a paz aos que apenas sentem o dever cumprido, o juízo em não negligenciar cuidados com o corpo e por que não dizer de aprendizado com os que nos cercam e nos confortam.

A vida é assim. Alguns a completam passando por todas as fases, a contemplam, deixam marcas, outros se boicotam. Alguns irão embora certos de que ensinaram e aprenderam. Outros deixarão de existir pensando que aproveitaram o máximo de suas vidas enganando, tendo tudo que queriam e abusando de outras vidas. 

É triste pensar que poucos, neste imenso planeta, mantém mente e corações sadios por toda uma vida.


NAMASTÊ