Google+ Followers

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

Coração Aberto

Quando decidi escrever me senti uma borboleta saindo do casulo. E junto com ela saíram os sentimentos e os pensamentos que muitas vezes não conseguimos transmitir. Descobri que ser poeta é opinar sem medo, escrever é desvincular-se de segredos e expressar-se é viver intensamente.

JosiLuA

quinta-feira, 29 de maio de 2014

QUANDO OS SENTIMENTOS BATEM NA PORTA

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)






Ninguém está realmente preparado para abrir a porta e encontrar o esperado. Todos temem que ao abri-la, algo desconhecido lá estará.

Alguns tem mais coragem que outros. Às vezes, essa coragem é benéfica, por outras ameaçadora, quando não exterminadora.

Mas, a todo o momento somos despertados pelo barulho de algum sentimento batendo e pedindo para entrar. Invadidos de esperança, sentimento este que jamais se separa de nosso abrigo, abrimos a porta.

Recebemos a alegria, a prosperidade, a sorte, com satisfação. Elas são sempre bem-vindas. Em contrapartida, uma tempestade violenta, cheia de ventos, abre repentinamente nossa porta e damos de cara com a tristeza e a dor. Não sabendo nós, exatamente, como agir nesse momento, elas invadem nosso espaço e se alojam rudes e ardilosas, rompendo o silêncio e a paz.

Nenhuma tranca é capaz de segurar a força com que arrebentam nosso ninho, desprotegido e frágil.
E, se numa hora estávamos cantando e rindo, noutra estamos a nos debater em águas tenebrosas e sem enxergar o final da tempestade, afogando-nos em lágrimas e depressão.

Por outro lado, bons sentimentos também podem nos pegar de surpresa e confundir completamente toda a preparada estrutura a que nos dispúnhamos realizar. E o amor, que bate tenuamente, quase imperceptível aos sentidos físicos, mas amplamente registrado no coração, age sorrateiramente, enlouquecendo os sãos.

A vida dentro de nós é feita de surpresas diárias. Nunca sabemos que viajantes baterão à nossa porta. 

Pode ser que nos surpreendamos com um batalhão de sentimentos dispostos a entrar. E é aí que muitos não conseguem manter seu próprio equilíbrio interno. Despencam para a confusão e a falta de controle, não reconhecendo a qual deles deve dar prioridade.

Buscar ajuda a fim de organizar a casa é uma excelente opção. Saber com quais sentimentos devemos lidar por primeiro é importante para haver um novo equilíbrio.

Alguns sentimentos realmente não combinam e até fazem questão de destruir outros. Por mais que nos achemos preparados, sempre a surpresa poderá vir acompanhada de algum outro sentimento e, sendo assim, despedaçar todo trabalho que tivemos para nos manter firmes em propósitos na vida.

Parece que alguns, ao abrir a porta, recebem mais friamente, sem se deixar abalar pelos sentimentos que provocam instabilidade. Talvez a forma com que foram criados, tratados ou ensinados possa influenciar muito na maneira como abrem suas portas. 

Pessoas que não tiveram carinho, contatos físicos e só ouviram queixas a seu respeito se tornam tão secas que não são capazes de externar outros sentimentos que não sejam os de indiferença pelo que acontece ao seu redor. Pelo simples fato que têm raiva do mundo e que o mundo deva pagar por tudo que passaram, inclusive elas mesmas.

Não adianta fugir ao som da batida na porta. O que temos que fazer é reagir de acordo com os instrumentos que temos dentro de nós para amenizar dores ou alimentar sonhos. O que não podemos é deixar que tomem conta da nossa razão.

NAMASTÊ



quarta-feira, 28 de maio de 2014

O ESPELHO

Autora:Josianne L.Amend (JosiLuA)


Atenta às sincronicidades da vida, pude notar que existem pessoas tão parecidas fisicamente, que desconfiaríamos de seu parentesco.  Elas nem ao menos sabem que uma e outra existe. Já pensei diversas vezes: -"De onde conheço essa pessoa"? E só depois percebi que ela era muito parecida ou quase igual a alguém que eu já havia conhecido.

Levando-se em conta a vida de cada uma, maneiras de ser, posição social, que fazem diferenciar-se em estilo, conseguiríamos distinguí-las perfeitamente. Porém, se pegarmos uma delas e ajeitarmos cabelos, roupas, maquiagem como a outra, conseguiremos muitos sósias na Terra.

Pensando nisso, criei algumas teorias a respeito de que todos temos uma imagem de nós mesmos.  Talvez nunca haja um encontro, mas pode-se teorizar que em algum lugar do planeta, esteja ou não vivo ainda, algum ser é praticamente idêntico a nós. Não sei se isso tem a ver com portais dimensionais ou pura e simplesmente com coincidências genéticas.

Esses tempos atrás, minha irmã contou-me que tinha me visto num ponto de ônibus e que por pouco não me chamou. Mas quando olhou novamente percebeu que não era eu. Resolveu tirar uma foto para me mostrar. Eu mesma me surpreendi. Pensei: -"Como fui parar lá"? O incrível é que aconteceu na mesma cidade onde moro. E, se isso acontece, imagine pelo mundo afora.

Será que temos na Terra um espelho nosso? Uma imagem de nós mesmos andando por ai e cometendo sei lá que atitudes? Talvez existam pessoas que tenham a oportunidade de "se"encontrar. Mas, raramente isso ocorre.

Comecei a me questionar se alguém parecido comigo fisicamente, teria também o meu jeito de ser e pensar. Ou se seria totalmente diferente, já que é uma imagem ao contrário, por refletir-me. Ou talvez não seja um reflexo, mas alguém igual. Ou ainda, talvez eu seja o reflexo. 

E, se diante de nós mesmos, frente a frente, teríamos a coragem de perguntar sobre dúvidas que nos assolam a tanto tempo. Do tipo: 
- por que não sou feliz como gostaria de ser?
- por que isso, por que aquilo.... ?

Se você "se"encontrasse por aí sairia correndo noutra direção ou iria de encontro a você? Tentaria aprender com sua imagem ou tentaria impor suas idéias? Gostaria de ver você mesmo em ação ou tentaria por fim na sua própria imagem?

São tantos milhões vivendo num planeta! Como ter absoluta certeza que a mistura de todos não acabará resultando em alguma igualdade? Isso tudo é muito alucinante! De repente, você olhar para trás e dar de cara com você mesmo! Pense nisso!

E, para que você esteja preparado para isso, faça agora esta simples dinâmica em frente ao seu espelho, de preferência algum que você possa se ver por inteiro:

"Vá até o espelho e olhe detalhadamente para você. Perceba suas roupas, seu semblante e até sua respiração. Feche os olhos e respire profundamente. Sem abrir os olhos, imagine-se caminhando por uma longa avenida com muitas pessoas, umas se batendo nas outras. De repente, alguém te chama pelo nome e você se vira. Abra os olhos e veja sua imagem no espelho. Sinta como se você visse você em outra pessoa. Perceba o que sente. É importante a primeira sensação. Olhe claramente para esta pessoa e diga a você mesmo o que vê. Você gosta do que vê? Sente prazer no que vê? Pegue um papel e caneta (que já devem estar previamente preparados) e escreva, sem pensar muito, o que você pensa desta pessoa. Faça perguntas em voz alta. Pergunte inclusive seu nome e anote. Depois que já descobriu tudo que queria, despeça-se como lhe convier. Leia tudo". Respire fundo novamente e volte para o aqui e agora, trazendo no coração sua imagem viva. Se isto não te preparar para encontrar seu sósia, no mínimo fará um belo encontro com seu Eu Interior.

Se um dia vocês se encontrarem, talvez já saiba qual será sua reação. Se não, no mínimo poderá saber mais sobre sua própria alma.

NAMASTÊ

quarta-feira, 21 de maio de 2014

ABRAÇANDO O DESTINO

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Afinal, o que é o destino senão o futuro no presente?
Quando damos um passo sequer, já estamos no futuro que se faz presente.
E o destino? Onde ele fica em tudo isso?

Destino é aquilo que tá pré-formado? É aquilo que não podemos mudar?
São todas as assinaturas que demos em contratos pré-firmados antes de nos aventurarmos na Terra?

Sei lá o que é o destino, mas sei que estou correndo atrás dele e quando penso que chego, lá está ele fugindo de mim para longe. Meu destino está selado! Como assim?
Seu destino é uma carta fechada? Está tudo lá, tudinho escrito? Sei, não!

Uns dizem que podemos mudá-lo, mas para onde? Quero que meu destino seja meu, mesmo que ele traga coisas que não conseguirei engolir. Pelo simples fato que ninguém tem nada perfeito. E , se eu o escolhi antecipadamente, e me foi permitido vivê-lo, é porque consigo carregá-lo.

Se eu faço parte do destino das pessoas é para que, tanto eu quanto elas, possamos trocar energias, aprender umas com as outras e também ensinar. Quantas pessoas passam ao longo de nossas vidas sem que ao menos lhes damos a devida atenção?

Meu destino é meu. Eu o abraço e vou com ele até o dia que ele me abandonar. Porque eu não o abandono. Se ele me apresenta situações, pessoas e tudo o mais é porque eu tinha que estar ali para ser, ou protagonista, ou coadjuvante. Mas tinha que ajudar a desenvolver o momento.

Se gosto ou não do que penso que pode ser meu destino já é outra história. E se eu torcer meu nariz, será que conseguirei chamar a atenção da pessoa que quero? Estou mudando meu destino ou era destino eu fazer isso?

Essa história de destino é pra enlouquecer. Causar pânico em qualquer pessoa que queira organizar sua vida. Afinal, se muda ou não muda o destino? E quem poderia saber se o final era mesmo aquele, se ele está no futuro ainda não vivido?

Ah, parem! Essa história está me dando sono. É meu destino agora ir dormir... e sonhar com meu dia de amanhã! :)


NAMASTÊ


 

terça-feira, 20 de maio de 2014

PARAFERNÁLIA

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)


Monjolo,
Lembranças inconscientes!
Círculo de vida
que inspira indiferente!

Maré,
águas inconstantes!
Insinuando-se inquietante
tentando manipular-me de propósito!

Lua,
magia que hipnotiza!
Mexe com a estrutura
levando tudo à loucura!

Música,
argumento do caótico!
Cria um mundo peregrino,
num paraíso meio narcótico!

Amor,
sentimento ambíguo!
Enlaça-nos silenciosamente,
mas deixa-nos tragicamente!

Poesia,
não tem pé, nem cabeça!
Envolve muita parafernália,
mas faz com que algo aconteça!

NAMASTÊ


ONDE, QUANDO E POR QUE

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Tá difícil, tá muito difícil encontrar novamente o caminho.
Onde foi que eu me desviei dele?
Quando foi que eu acreditei que aquilo seria o melhor?
Por que sinto uma vontade tão grande de desistir?

Tanto fiz para que minha vida fosse, não perfeita, mas digna!
Onde está o momento em que ensinei tantas coisas erradas?
Quando foi que meu exemplo como espiritualista nada acrescentou?
Por que vejo que minhas palavras são incompreendidas?

Não encontro mais razão para continuar.
Onde comecei a perder os laços de amor na minha vida?
Quando foi que deixei escapar o controle sobre meus pensamentos?
Por que simplesmente sofro tanto pelo amor que tenho dentro de mim?

Quem são as pessoas que fazem parte da minha história?
Onde elas se encaixam, afinal, dentro deste sofrimento?
Quando foi que me permiti ser tão sensível à solidão?
Por que minhas palavras parecem não fazer sentido algum?

Como ajustar meu corpo neste plano que já não me pertence?
Onde estará o fio que me desligará para sempre desta ansiedade?
Quando poderei enfim, acordar com um pouco de paz no coração?
Por que ainda tenho tanta coisa para fazer se não me permitem?

Só quero a paz, a dignidade e ser amada!
só não sei onde encontrar nenhum dos três,
nem quando poderei ser luz e parar com esses pensamentos
e por que ainda me cobram tanto da vida, quando já morri!


NAMASTÊ

 

sábado, 17 de maio de 2014

E POR FALAR EM...

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



 E por falar em Amigos,
onde andam aqueles que fizeram parte de uma infância feliz?
 
E por falar em Saudade,
onde estarão aqueles que se foram dessa vida?
 
E por falar em Carinho,
em que momento da minha vida deixei de recebe-lo?
 
E por falar em Tristeza,
qual o melhor remédio para tirá-la do peito?
 
E por falar em Desejos,
porque eles sempre aparecem na hora em que é difícil concretizá-los?
 
E por falar em Dúvidas,
quem será que tem a resposta para todas?
 
E por falar em Inimigos,
por que eles simplesmente não me ignoram ou não fico invisível para eles?
 
E por falar em Beleza,
onde anda mesmo a dos que criam regras para ela?
 
E por falar em Sinceridade,
onde estão as pessoas em que se pode confiar sem medo?
 
E por falar em Justiça,
quem realmente pode dizer o que é ou não justo, sem saber a verdadeira vida de alguém?
 
E por falar em Maldade,
por que é mais fácil cultivá-la do que exterminá-la?
 
E por falar em Superficialidade,
onde é o curso que tantas pessoas fizeram para se formar nisso?
 
E por falar em Egoísmo,
como é que as pessoas conseguem cobrar tanto a sua própria caridade?
 
E por falar em Saúde,
como conseguir buscá-la de maneira justa, com o preço de tudo?
 
E por falar em Amor,
onde anda minha alma gêmea?

E por falar em Silêncio,
como o mundo consegue calar tão facilmente nossa voz?
 
 
 
NAMASTÊ
 

 

sexta-feira, 16 de maio de 2014

PELA HONRA DA FELICIDADE

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Cada um qualifica a felicidade da maneira como a sente. Não dá pra quantificá-la perante parâmetros de vidas. Mas esse sentimento devia ser respeitado, pois que faz tudo mudar, tanto ao nosso redor, quanto dentro de nós.

Ser feliz não é algo permanente, mas pode permanecer por horas, dias, ou quem sabe até meses. Ser feliz pode representar um estado emocional perante as situações que vivemos.

Quando desejamos algo e conseguimos realizar, imediatamente nos tornamos pessoas felizes, não importando o quanto em si. Mas essa mesma condição pode ser abruptamente interrompida por uma tragédia ou um desgosto na vida. Então, vivemos como uma onda, uma hora em êxtase, noutra em lágrimas.

Quando falo em honra da felicidade, quero dizer que este sentimento é tão maravilhoso que não deveria ser mentido ou simplesmente camuflado. Digo isso pensando nas pessoas que, por exemplo, cegas de amor, se definem felizes com companheiros violentos e que no fundo as fazem sofrer ao invés de sentirem a real felicidade. Ou com pessoas que se iludem financeiramente trabalhando em locais que odeiam e que as fazem tornar-se pessoas ruins, invejosas e maldosas. E há ainda as que mentem ser felizes nos ambientes que vivem, pura e simplesmente por orgulho de não quererem parecer fracas perante os outros.

A felicidade é algo libertador e não deixa com que você se sinta preso a algo ou alguém. Ela faz com que você seja você mesmo, que reaja positivamente às situações da vida, simplesmente porque te deixa em paz e bem. Por isso, a felicidade é momentânea, porque nossas vidas são feitas de episódios, de capítulos. E cada um deles tem uma história.

Pela honra deste sentimento, comece a perceber o que realmente te faz uma pessoa melhor e feliz, para usar essa terminologia. Parece que alguns dizem que se pode ser feliz em partes. Talvez até se possa, quando no final da história tivermos montado essas partes do quebra-cabeça no quadro principal, tornando tudo a melhor pintura da nossa existência.

Ser feliz é tão questionável. Mas quem é, o sabe bem. Pois o corpo e o pensamento se transformam em algo etéreo, meio sem explicação. A fisionomia muda, o olhar, os lábios e até os gestos. Por isso, notamos perfeitamente quando alguém realmente é feliz.

Mas, nossa vida parece um balão de gás, que alimentado irá às alturas, verá tudo de cima, sentirá a liberdade e a essência da vida. Porém com o tempo perderá aos poucos o ar que o infla, caindo sorrateiramente, às vezes sem se dar conta de que já não está tão alto quanto imaginava. E aí entra novamente a felicidade que, como o ar no balão, infla nossa vida fazendo-nos voar num mundo de alegria contagiante e que nutre nosso corpo físico de força e energia.

A felicidade parece estar conectada ao verbo ter: ter amor, ter dinheiro, ter saúde, ter paz, ter família, ter as coisas, enfim. Mas não é bem isso que este sentimento significa e é por isso que devemos analisar profundamente, PELA HONRA DA FELICIDADE, o que realmente nos faz feliz. Pois só assim, poderemos extravasar e aproveitar esta emoção inescrutável.


NAMASTÊ




 

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O SEGREDO, A FORÇA E O INEXPLICÁVEL DA HUMANIDADE

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Não sei exatamente o que é, mas há uma força inexplicável quando as pessoas se conectam com um determinado propósito. Tem algo de mítico, de filosófico e de paranormal.
 
Quando assisto a um filme onde homens lutam, percebo claramente que este sexo, quando se une, gera uma carga emocional tão intensa que chega a penetrar num mundo misterioso onde são revelados tanto poder e força, que poderiam perfeitamente modificar parâmetros. Há uma lealdade autêntica, uma defesa pelo bem comum e atitudes tão intensas para com o guerreiro ao seu lado que fazem o homem parecer um ser totalmente intrépido, porém não só por ele, mas por todos. Eu os admiro por isso, pois não vejo nas mulheres tamanha força misteriosa quando se unem. Elas não conseguem chegar em tal sincronia.
 
Imagine uma multidão de pessoas, rezando e unindo pensamentos por uma determinada causa. Que tipo de energia é emanada de seus corações? Com certeza, imperceptível aos olhos físicos, ela paira acima, na atmosfera, com matéria sutil e que transmite algo de bom e renovador.
 
Essa união de pensamentos e atitudes por uma causa justa é o grande segredo, a grande força que poderia modificar nossas vidas.
 
Quando algo acontece que comove grande parte da humanidade, como catástrofes, desastres, guerras ou tragédias, a força da união, da oração e do bem comum consegue abrandar de certa forma todo o episódio. Não fosse pelas especulações e sentimentos vazios de pura curiosidade, estas emanações provindas de bons corações conseguiriam resultados extremamente positivos para dissipar a negatividade localizada.
 
Há, sim, uma força além de nossa compreensão que restaura, que nos faz sentir uma paz tão grandiosa, capaz de causar a lembrança de uma vida de total liberdade interior, com pacifismo e amorosidade.
 
Se observarem com cuidado, vão saber distinguir a energia de pessoas desesperadas, das que realmente estão entregando seu coração e alma. Vão saber a diferença entre a simples amizade e companheirismo, da complexidade da essência do amor que há nas entranhas de cada ser.
 
Talvez seja isso que precisemos buscar em nós. Talvez seja isso que Deus espera de nós, como seres humanos. Que, vivendo ou morando na mesma casa, a Terra, consigamos repartir por igual nosso alimento, nosso carinho, nossa justiça e nosso amor.
 
O segredo está dentro de cada um, porém enlaçado a cada um. A força está na união. E, ao unirmos a compreensão de nós mesmos, com a força do todo, inexplicavelmente desvendaremos paradigmas da humanidade.
 
Mas não basta somente união. Deve brotar essa estranha e mágica energia que nasce através da irreconhecível força interior, realçada apenas nas horas em que o ser humano deixa de pensar em si, pensando em todos e na causa única.
 
Por enquanto, este texto parece utópico, sem sentido algum, já que a maior parte da humanidade só faz pensar em si mesmo e no que poderia ter para si.
 
Quem sabe um dia...
 
 
NAMASTÊ
 

EU SOU

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Sou o que o vento não pode levar,
sou o que o fogo não consegue queimar,
sou a ferida que cicatriza de imediato,
e o grito escondido na garganta que não consegue se manifestar.


Sou a lágrima contida no canto do olho,
sou a torrente que inunda o sentimento,
sou o gemido abafado de quem se contorce doendo,
e o suspiro profundo que adormece finalmente.


Sou a águia gritando  no alto a todo o mundo,
sou a cobra que rasteja tentando sentir a terra,
sou o perfume da flor contagiando o jardim,
e o tronco torcido que sofreu em busca da luz.


Sou o temor no coração dos guerreiros,
sou o olhar furioso na intenção de romper barreiras,
sou a cantiga que embala o berço isolado
e sou o todo que faz do vazio meu infinito!



NAMASTÊ

 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

ADEUS À SOLIDÃO

Autora: Josianne L.Amend ( JosiLuA)



Arranco você do peito,
e te tiro do pensamento.
Solidão não tem espaço,
vá morar noutro aposento!

Se não quer minha companhia,
com certeza acho quem quer.
Uma hora na flor do destino,
a última pétala será bem-me-quer!

Só não saia da minha vida,
por motivos fúteis e confusos.
Temos pouco tempo para amar,
esclareça os sentimentos difusos!

Quando um não quer, ele se afasta,
mas o espaço da solidão terá hora marcada.
A vida acaba nos ensinando
a preencher vazios com gente interessada!

Adeus solidão, não aguento mais você!
Vou desvendar outros caminhos,
abraçar outros braços,
acolher-me em outros colos,
que, mesmo não sendo eternos,
poderão animar minha vida.

Adeus solidão, de amores, amigos e familiares.
Quem não me dá atenção devida
não precisa  fazer parte da minha vida!
Com certeza estarei bem cuidada,
mesmo que a solidão seja lentamente infiltrada,
arrancarei novamente você,
nem que eu já esteja cansada!

NAMASTÊ


ENTREGUE SEU AMOR

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)



Entregue seu amor
para uma rocha
que apesar de rígida,
te ensinará a ser forte!
 
Entregue seu amor
para uma árvore
que apesar de enraizada,
te dará frutos e te alimentará!
 
Entregue seu amor
para o mendigo
que apesar de sujo e maltrapilho,
te olhará com respeito!
 
Entregue seu amor
para as ondas do mar
que apesar de inquietas,
te fazem sonhar!
 
Entregue seu amor
para as estrelas
que apesar de inatingíveis
cobrem de luz tua vida!
 
Entregue seu amor
para o vento
que apesar de invisível,
alivia teus dias mais quentes!
 
Entregue seu amor
para quem merece,
pois se entregar seu amor
sem responsabilidade
a alguém que não te cuide,
não te faça sonhar,
não te respeite,
não te alimente de carinho,
não te ilumine,
nem te faça feliz,
estarás abonando tua insensatez!
 
E o insensato jamais pode ser feliz!
 
 
NAMASTÊ