Google+ Followers

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

Coração Aberto

Quando decidi escrever me senti uma borboleta saindo do casulo. E junto com ela saíram os sentimentos e os pensamentos que muitas vezes não conseguimos transmitir. Descobri que ser poeta é opinar sem medo, escrever é desvincular-se de segredos e expressar-se é viver intensamente.

JosiLuA

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

AO NOSSO REDOR

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

 
Como uma flor solitária nasce no meio da floresta, nós também podemos nos sentir assim se resolvermos olhar para fora do nosso corpo. Não que sejamos solitários, mas há uma floresta ao nosso redor.

Neste caso, a floresta são os amigos, parentes, familiares, conhecidos. E, como a verdadeira floresta, essas pessoas ao nosso redor também podem ser comparadas com as plantas.

A flor solitária se vê envolvida por cipós, grandes e frondosas árvores, arbustos, ervas daninhas, vegetação rasteira e árvores pequenas, delicadas e florescidas.

Só que a flor vive resignada, presa em seu lugar, sendo invadida por toda espécie de planta. Mas nós podemos abrir caminho. E isto deve ser feito para que o mundo ao nosso redor seja o mais perfeito possível.

Pessoas de diversas espécies vão se achegando a nós. Grandes árvores, simples arbustos, vegetação rasteira e aquelas cheias de espinhos, algumas venenosas e até os cipós.

Com certeza você saberá quem é o que na sua vida, conforme essas pessoas vão se comportando. Algumas são belas e acabam por nos enganar. Quando chegamos perto exalam venenos. Outras parecem tranquilas, mas quando se coloca o dedo viram plantas carnívoras.

Mas a floresta humana não tem só plantas ruins. Tem belas árvores que nos acolhem, dão bons frutos e sabem entender quando precisamos de paz e sossego.

Cabe a nós abrirmos caminho para passar nessa mata e transformar nossa vida em um jardim. Lembrando que os jardins sempre precisam de poda, de cuidados e replantios.

Se você for esperto pode ir afastando e retirando as ervas daninhas, os cipós que vivem se pendurando pra lá e pra cá (os famosos leva-e-trás) e as plantas venenosas. Para isso, deverá estar atento, abrir bem os olhos e deixar seu coração te guiar.

Faça uma análise: pegue uma folha de papel, escreva nomes de pessoas e diga com que planta elas se parecem. Perceba se há mais árvores frondosas, mais ervas daninhas, mais cipós perto de você. Quem sabe com este insight você consiga abrir novos caminhos e encontrar plantas melhores para fazer parte de sua vida.

Só não espere a floresta se fechar ao seu redor e te sufocar. Você precisa respirar, ter espaço para crescer, para ver o sol, receber a chuva e finalmente sobreviver.

NAMASTÊ





 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

OLHOS NOS OLHOS

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)


Túnel do tempo,
buraco negro,
alojamento da alma!

Segredos mais íntimos,
jogos ardis,
janelas do destino!

Olho em teus olhos
e vejo passar mentiras e verdades,
prefiro acreditar na docilidade,
para não ferir minha própria vaidade.

Os olhos demonstram tanto sentimento,
explodem com o furor que se ocupa do ego.
Lançam cristais de gelo quando o coração se parte,
podem até martelar a vítima com seu próprio prego.

Brilham e atiram infinitas luzes de alegria,
quando o amor se põe à sua frente!
Se encanta com qualquer cortesia,
entrega intimidades de forma inconsequente!

Olhos nos olhos é uma guerra de privacidade.
Quem não te olha nos olhos,
não quer mostrar sua verdade.
Se fecham as portas, quem está do outro lado?

Olhos nos olhos é para quem é sincero,
que busca o caminho entorpecido no silêncio.
Encontrar o que há lá dentro,
é tarefa sábia e nada facilitada.
Pois só a alma pura deixa-se ser investigada!

NAMASTÊ

 

domingo, 26 de janeiro de 2014

RELAÇÕES ENTRE CASAIS

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

Relações começam com um olhar e acabam com o olho inchado... de lágrimas!
Relações são indefiníveis e ao mesmo tempo tão fáceis de decifrar. Palavras que as definem: empatia, paquera, tesão, estupidez, possessão, egoísmo e solidão... a dois!

Não sei se as relações estão ficando cada vez mais complicadas ou se são as pessoas que estão cada vez mais difíceis de compreensão e carinho.

As relações começam quando duas pessoas aceitam, e terminam quando uma pessoa não quer mais. E então vem a tristeza e a dor. Este é o primeiro estágio. Logo depois, passado o desespero, vem a vingança e a vontade de ver o outro sofrer. Este é o pior de uma relação. Pois não afeta somente a pessoa em questão, mas todos os que estão ao seu redor: amigos, filhos, pais, parentes.

O que se procura em uma relação? Se você procura tudo aquilo que está te fazendo falta neste momento, então cuidado, pois é praticamente inevitável a relação não ser saudável e nem ter futuro.

Todos querem companhia, carinho, respeito e segurança. Mas quem realmente está disposto a fazer o mesmo pelo outro? Quando isso acontece, vemos casais felizes e com uma relação baseada em troca justa.

Porém, tem pessoas que entram numa relação primeiro pelo aspecto, pela beleza, pela fama do outro. E depois, ao conhecer melhor a pessoa, descobre que tudo aquilo está num ser humano comum, com os mesmos defeitos e problemas que outros.

Relações são profundas ou etéreas. São utópicas ou violentas. A questão é quem você escolhe para se relacionar.

Normalmente você se envolve com pessoas que retribuem a mesma forma de energia que você, pelo menos de imediato. É a tal sincronicidade energética. Você acha a pessoa "tão" parecida com você e se entrega. E com o tempo, suas sombras vão se ampliando perante seus olhos e você já não sabe mais quem é quem. Começa a cansar de sentir tantos defeitos, mas não tem paciência para analisá-los e perceber que alguns deles você permitiu e outros, você mesmo os tem.

Tem pessoas que entram numa relação e no primeiro dia já a intitulam de eterna. Ficam tão pegajosas e desesperadas que esquecem de aproveitar cada dia e cada momento, preocupando-se apenas na famosa DR ( discutição de relacionamento). Isto é a relação que começa no fim.

Outras, fazem entender que estão prontas para se relacionar, mas esquecem de se fazer presentes, além de transgredirem a maior regra numa relação que é o respeito, tanto por si, quanto pelo outro.

Não entre numa relação e enlace o outro de forma que ele não possa se mexer. Não coloque uma mordaça, de forma que ele não possa opinar. Não ate suas mãos, de forma que ele não possa te mostrar novos caminhos e não vende seus olhos, de forma que ele não possa te ver como a pessoa que o conquistou.

Tem gente que quer ser dono e não ter uma relação. Tem gente que quer tanto ser notado, mas esquece de olhar para dentro de si mesmo e deixa de ser para só tentar ter.

Relações são vias de mão dupla. O que você quer receber, tem que saber doar. O que você pretende encontrar no outro, também deve permitir que seja encontrado em você. O que você busca, deve aprender a entregar.

Mas, uma das coisas mais importantes nas relações é o respeito pela individualidade do outro. Quando você o conheceu ele tinha um trabalho que gostava, a comida preferida, o momento de estar sozinho lendo, pescando, surfando, meditando ou seja lá qual o hobbie desta pessoa. Por que tentar fazer com que o outro desista disso? Anular uma pessoa e o que ela gosta de fazer, é uma forma egoísta de relações complicadas e desastrosas.

Insultos, violência corporal, deboches, colocar a pessoa em situações estressantes e vergonhosas são atitudes típicas de pessoas desequilibradas e sem a mínima condição de se relacionar. Se você precisa fazer isso com alguém é porque tem problemas e deve se tratar.

As relações podem e devem ser sadias, mesmo que acabem. Não precisam ser eternas, mas perfeitas em diálogos, alegres em companheirismo, construtivas e que nos façam crescer como seres humanos. Elas devem deixar boas lembranças e marcas de risos e não de espancamentos. Elas devem deixar cheiro que embriaga o pensamento, e não objetos que temos prazer de queimar ou quebrar.

Relações são entre duas pessoas que pensam diferente, foram criadas diferentes e tem sonhos que podem ou não serem iguais. Então, como exigir que o outro seja você, pense igual ou aja igual? O que enobrece a relação é a humildade para pedir perdão e para desistir de algo pelo bem estar de ambos. Renunciar e assumir erros também fará pontos numa relação.

Não entre numa relação porque está se sentindo solitário. Deixe que o coração responda suas perguntas, mas a mente cuide de suas atitudes.  Seja alguém bom o suficiente para fazer alguém feliz e sábio para não servir de alicerce para a frustração de ninguém.

NAMASTÊ



 

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

AMOR EGOÍSTA

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)


Ah, o amor!
Esse irresponsável,
que me surpreende no meu silêncio,
e que me arrasa na euforia!

Ah, o coração!
Sempre cheio de desejos,
tentando esconder os segredos
e inundando de lágrimas a minha agonia!

Ah, sua doce fala!
Embriagando meus sentimentos,
confundindo meus pensamentos,
que, por vezes, demonstra apatia!

Ah, seus olhos destruidores!
Que desmancham meu orgulho,
revelando minha alma,
como em fotografia!

Ah, suas mãos tão provocantes!
Faz descobertas insólitas,
mergulha meu corpo "caliente",
numa incrível terapia!

Ah, esse teu cheiro felino!
Que provoca sensação paralisante,
fazendo nossos corpos se enlaçarem
numa formosa sinergia!

Ah, o amor!
ele atrai e escorraça,
ele se submete e escraviza,
ele se oferece e implora...

Esse amor não é para os deuses,
nem para quem busca a perfeição.
É para quem só quer sentir a vida,
através do seu próprio tesão!

NAMASTÊ



 

AMADA SINTONIA

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)


Enxergar o mundo de forma diferente,
é apenas quebrar a muralha que se coloca à sua frente.

As nuvens correndo atrás de não sei o quê,
a lua que sai do mar, mas não parece molhada,
o vento que toca flauta em melodia engraçada
e o sol, que ao se pôr, faz dança esfumaçada.

O rio vai ziguezagueando sem ficar tonto,
a pedra com o tempo massageia sua forma.
Tem árvore que quer sair das alturas,
e toca o chão com seus galhos em plataforma.

A criança correndo e gritando,
faz o todo parecer uma tela.
E o fotógrafo atento ao encanto,
registra o vento na saia da donzela.

Os animais parecem enlouquecidos,
uns descem do alto, outros sobem rapidinho.
Mas o que todos realmente procuram
é o alimento para levar ao seu ninho.

Apesar de estarem presas ao chão,
as flores e plantas permeiam buscando a luz.
E alguns animais na savana,
desfilam imponentes com jeito que nos seduz.

Quando o arco-íris aparece de repente,
a Terra é alçada pelas cores da aquarela.
Não é no fim dele que se encontra o tesouro
mas o próprio planeta é um pote que se revela.

Quem fez respingos no manto negro da noite,
com certeza é um grande artista.
O céu por vezes, chora, mas é fogo e não água.
Parecem serpentinas em dança surrealista.

Tudo no mundo é uma amada sintonia!
A batuta do mestre dança com proficiência,
pelos quatro cantos do mundo.
Não há quem mude o balanço e a ginga,
Ninguém é capaz de algo tão fecundo.

Ver além do que se enxerga com os olhos,
pode ser uma viagem transformadora.
Só quem quer crescer e transcender,
usará suas forças como a melhor professora!


NAMASTÊ



 

LAMENTO

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)


Lamento perder meus amigos pássaros,
que já me conhecem e que todos os dias cantam pra mim.
Lamento perder meu pé de pitanga,
que serviu-nos por alguns anos enriquecendo meu jardim.

Lamento pelas flores e plantas,
que deram brilho e beleza em minha vida.
Lamento pela sombra do balanço,
que fez minha neta sorrir e gritar sem medida.

Lamento pelo lugar que durante anos me acolheu,
e que viu sorrisos, lágrimas e todo tipo de sentimento.
Lamento pela querida primavera,
que cresceu rápida exaltando encantamento.

Lamento a dama-da-noite,
que apesar de tão escondida, ainda aparecia.
Lamento meu pé de mimosa,
carregado com tantos frutos para nos dar alegria.

Lamento pelos anões,
que brincavam animados pelo jardim.
Lamento que apesar de tentar,
nunca consegui florescer meu jasmim.

Lamento deixar o canto das tirivas,
que toda manhã enlouquecem naquela árvore.
Lamento meus sabiás e rolinhas,
buscando o pedaço de mamão no mármore.

Lamento, pois parece que os abandono,
mas no fundo eu simplesmente mudo.
Vou em busca de mais felicidade,
deixando para trás "quase" tudo!

Há momentos que precisamos criar novas energias,
E para isso só trabalhando alquimias...

NAMASTÊ

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A VIAGEM IMAGINÁRIA


Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)

Fui...
para um mundo só meu
e nele fiz o que quis
desde tirar lindas estrelas do breu,
até colher balas de anis.

Posso tudo neste meu pequeno mundo,
voar atrás das gaivotas no céu,
ou pular tão alto a fim de buscar meu troféu.

Viajo sem pressa de chegar,
observando a paisagem e o que tem nesse lugar.

Em meu mundo imaginário,
nada pode se perder.
Não preciso ser milionário
basta apenas transcender.

Posso correr mil léguas
e saltar nobre montanha
esticar-me como elástico
e fazer toda artimanha.

Revelar o que de fato sinto
no momento mais importante,
faz este mundo se tornar,
muito mais alucinante.

Algumas coisas de cabeça pra baixo,
fazem-me pensar de outras maneiras.
Nem sempre em cima, às vezes embaixo,
É uma opção que dá tonteira!

A viagem mais incrível da vida
é aquela em que em nós acreditamos.
Triste mesmo é a despedida,
se dessa viagem que retornamos, 
voltarmos sem bagagem enobrecida.

NAMASTÊ

RABUGICES

Autora: Josianne L.Amend (JosiLuA)




Rabugices são formas de dizer para a vida:

- não quero ver o que você me oferece
- não desejo ser feliz
- quero remoer minhas raivas sem ter esperanças
- para que tentar?
- sou assim e não quero mudar
- não, não e não...

Encher a vida de nãos para não ter que se preocupar com os erros é uma forma horrível de deixar passar a vida.

Os medos são normais e todos têm. O que muda são as atitudes que temos perante eles.

Se todas as tentativas não deram certo AINDA, é porque o melhor está por vir.

- o melhor companheiro ou a melhor companheira
- o melhor emprego
- a melhor decisão a ser tomada
- a melhor hora para que tudo isso se resolva em nossa vida.

Rabugice de nada adianta. Só nos fará ficar sozinhos e lamentáveis perante os outros.
Rabugentos são pessoas chatas, pessimistas e sempre carentes.

O que nos faz rabugentos é não acreditarmos mais em nós. É desistirmos do nosso potencial, olhando somente para o que os outros podem ou os outros têm.

Criar esperança, expectativas e ter fé nos faz melhores. Sorrir nos faz melhores. Ouvir, sobretudo nos faz aprender, refletir e tomar decisões que estavam emperradas dentro da nossa alma.

As rabugices vem da maneira como encaramos as coisas.
Uma noite enluarada pode ser romântica, como a luz pode atrapalhar em seu quarto.
Uma criança brincando e falando sozinha pode ser  motivo de poesia ou de irritação.
Uma amiga tentando abrir seus olhos pode ser um bálsamo para sua depressão ou um motivo de despistar a amizade.
Alguém com melhor cargo pode se tornar um exemplo ou uma razão para perseguição.

Rabugices fazem você se tornar amargo, não só com os outros, mas com você mesmo.
Faz você se arrepender e sentir vergonha de si mesmo, ou simplesmente tornar-se uma pessoa solitária.
Faz você ignorar o sol porque ele só esquenta tudo e ignorar a chuva porque não pode sair de casa.
Faz você ignorar novos homens e mulheres de sua vida, porque nenhum presta, todos farão igual ao seu ou sua ex.
Faz você duvidar das pessoas que querem te acolher, achando que elas só querem se aproveitar do que é seu.

Rabugices faz você perder sua essência de amor e cultivar ervas-daninhas dentro de sua alma. Faz criar doenças somáticas por causa da amargura.

O que você espera para sua vida?

Responda num momento de paz e de pura organização mental. Num momento em que você poderá dizer a você mesmo que ama a vida! Num momento em que aprendeu a lidar com sua rabugice.

NAMASTÊ

feliz 2014